A “memória herdada”: as comissões da verdade e os “escrachos” promovidos pela juventude em países da América Latina, como Argentina, Chile e Brasil

Marta Gouveia de Oliveira Rovai

Resumo


 Resumo: Este artigo apresenta um breve histórico da justiça de transição, em países da América Latina, como Argentina, Chile e Brasil, baseada na busca pela verdade, justiça e reparação. Num primeiro momento mostra a importância das comissões da verdade, criadas para revelar as violações cometidas durante os regimes ditatoriais. Em seguida trabalha com o conceito de “memória herdada”, de Michael Pollak, para mostrar como parcelas organizadas da juventude atuam no presente denunciando publicamente, por meio de manifestações conhecidas como “escrachos”, os responsáveis pelos crimes cometidos contra a geração de seus pais e avós. No Brasil, destaca-se o Levante Popular da Juventude que, inspirado no movimento dos HIJOS, na Argentina, toma para si o dever do compartilhamento da memória.

Palavras-chave: justiça de transição – memória herdada – juventude latino-americana

 

Abstract: This article presents a brief history of transitional justice in Latin American countries such as Argentina, Chile and Brazil , based on the search for truth , justice and reparation . At first shows the importance of truth commissions , created to reveal the violations committed during the dictatorial regimes . Then explores the concept of  “inherited memory ", as that of Michael Pollak , to show how organized youth installments  presently act in  publicly denouncing, through demonstrations known as  “escrachos” , those responsible for the crimes committed against their parents and grandparents generations. In Brazil , there is the Levante Popular da Juventude who , inspired by the movement of HIJOS, in Argentina, takes on the duty of sharing memory .

Keywords: transitional justice - inherited memory - Latin American youth


Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Comunidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BENEVIDES, Silvio O; LUZ, Sóstenes A. Juventudes e participação: os atores de uma nova dimensão do político: o caso do Levante Popular da Juventude. 2010. Disponível em http://actacientifica.servicioit.cl/biblioteca/gt/GT22/GT22_OliveiraBenevides_AroeiradaLuz.pdf – Acesso em 24.jul.2014.

COMISSÃO Nacional da Verdade. Relatório Final da Comissão da Verdade. Brasília: CNV, 2014.

CUYA, ESTEBAN. Justiça de Transição. Acervo, Rio de Janeiro, v. 24, no 1, jan/jun, p. 37-78, 2011.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.HARTOG, François. Tempo e Patrimônio. Varia História. Belo Horizonte, vol. 22, nº 36, Jul/Dez, p.261-273, 2006.

MALUF, Marina. Ruídos da Memória. São Paulo: Siciliano, 1995.

MICHEL, Johan. Podemos falar de uma política de esquecimento? Revista Memória em Rede, Pelotas, v.2, n.3,.ago-nov, p. 14-26, 2010.

MISHE, Ann. De estudantes a cidadãos. Revista Brasileira de Educação Mai/Jun/Jul/Ago 1997 N º 5 Set/Out/Nov/Dez, p.134-150, 1997.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n.10, dez., p.7-28. 1993.

PASSERINI, Luísa. Memoria y utopia: La primacia de La intersubjetividad. Valencia: Universitat de Valencia, 2006.

PINTO, Simone Rodrigues. Direito à memória e à verdade: comissões de verdade na América Latina. Revista Debates, Porto Alegre, v.4, n.1, jan-jun, p.128- 143, 2010.

POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.5, n. 10, p. 200-212, 1992.

QUINALHA, Renan H.; SOARES, Inês V.Os escrachos e a luta por verdade e justiça “desde baixo”. 2013. Disponível em http://revistavjm.com.br/artigos/os-escrachos-e-a-luta-por-verdade-e-justica-desde-baixo/. Acesso em 30.jun.2014.

RICOUER, Paul. História, memória e esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp. 2007.

RUSKOWSKI, Bianca de Oliveira; SILVA, Marcelo K. O processo de engajamento militante a partir do estudo sobre condições e mecanismos de engajamento. 2009. Disponível em http://actacientifica.servicioit.cl/biblioteca/gt/GT20/GT20_OliveiraRuskowski_KunrathSilva.pdf. Acessado em 24/07/2014. - Acesso em 30.jun.2014.

SIKKINK, Kathryn. A Era da Responsabilização: a ascensão da responsabilização penal individual In COMISSÃO da Anistia. A anistia na era da responsabilização: o Brasil na perspectiva internacional e comparada. Oxford: Oxford University, 2011, p.34-75.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: