José Veríssimo e os “inconvenientes” de suas leituras estadunidenses da guerra civil no México (1913-1914)

Natally Vieira Dias

Resumo


O artigo analisa as intervenções públicas realizadas pelo educador e crítico literário brasileiro José Veríssimo a respeito da guerra civil desencadeada no México em 1910. Veríssimo era, na época, um dos principais intelectuais brasileiros e um dos poucos que se dedicavam sistematicamente ao estudo da cultura hispano-americana. Foi precisamente a partir de uma coluna sobre o tema, publicada no jornal carioca O Imparcial, que o intelectual brasileiro veiculou uma série de artigos sobre os primeiros anos da Revolução Mexicana. Mostramos que Veríssimo fez da produção jornalística e historiográfica estadunidense a principal fonte de suas análises sobre a situação mexicana e damos destaque ao fato de que a mudança de seu posicionamento sobre o processo revolucionário mexicano implicou num significativo realinhamento em relação à produção estadunidense, ainda que esta tenha se mantido como a principal base para suas intervenções públicas sobre o México revolucionário.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTAMIRANO, Carlos. Elites culturales en el siglo XX latinoamericano. In: ALTAMIRANO, Carlos (Ed.). Historia de los intelectuales en América Latina II. Los avatares de la “ciudad letrada” en el siglo XX. Buenos Aires: Katz, 2010.

_____. Para un programa de historia intelectual y otros ensayos. Buenos Aires: Siglo XXI, 2005.

_____ . Intelectuales: notas de investigación. Bogotá: Grupo Editorial Norma, 2006.

ANGENOT, Marc. La parole pamphlétaire. Typologie des discours modernes. Paris: Payot, 1982.

BAGGIO, Kátia Gerab. A “outra” América: a América Latina na visão dos intelectuais brasileiros das primeiras décadas republicanas. Tese de Doutorado. São Paulo: Departamento de História, FFLCH, USP, 1998, 224 p.

BARBOSA, João Alexandre. A tradição do impasse: linguagem da crítica e crítica da linguagem em José Veríssimo. São Paulo: Ática, 1974.

_____ . A vertente latino-americana. Apresentação de VERÍSSIMO, José. Cultura, literatura e política. (Seleção e apresentação: João Alexandre Barbosa). São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 7-14.

COSTA, Adriane Vidal. José Veríssimo: o sujeito e o espaço na construção da nação brasileira. Revista literária Paralelo 20, Belo Horizonte, v. 2, 2004, p. 35-46.

DIAS, Natally Vieira. A Revolução Mexicana nos debates político-intelectuais brasileiros: projeções, leituras e apropriações (1910-1941). Belo Horizonte: Departamento de História, PPGH/FAFICH/UFMG, 2015, 302 p.

_____ . O México como “lição”: a Revolução Mexicana nos grandes jornais brasileiros e argentinos (1910-1915). Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: Departamento de História, PPGH/FAFICH/UFMG, 2009, 175 p.

Gazeta de Notícias, Estados Unidos-México (editorial), 1ª pág., 28/04/1914.

GOMES, Angela de Castro. A educação nacional: república e educação patriótica. In: A República, a História e o IHGB. Belo Horizonte: Argumentum, 2009, p. 99-105.

HART, Albert Bushnell. Mexico and the Mexicans. The World’s Work, nº 3, jan., 1914.

_____ . Roosevelt as a pionner. Prefácio a The Works of Theodore Roosevelt. Memorial Edition. Volume X. Nova York: Charles Scribner’s Sons, 1924, p. XXIX. Disponível em: http://www.theodore-roosevelt.com/images/research/worksoftheodoreroosevelt/TRMEMORIALWORKS10.pdf Acesso em: 12/01/2014.

_____ . Shall We Defend the Monroe Doctrine? The North American Review, vol. 202, nº 720, Nov. 1915.

La Prensa (Buenos Aires), La situación mexicana (editorial), 19/05/1911, p. 11.

MEYER, Eugenia. El encuentro, los encuentros. Introdução a John Kenneth Turner: periodista de México. México: Era: Facultad de Filosofía y Letras, UNAM, 2005, p. 9-104.

MOUILLAUD, Maurice. Da forma ao sentido. In: MOUILLAUD, Maurice; PORTO, Sérgio Dayrell (Orgs.). O jornal, da forma ao sentido. Brasília: Paralelo 15, 1997, p. 29-35.

MOURA, Gerson. História de uma história: rumos da historiografia norte-americana no século XX. São Paulo: Edusp, 1995.

OLIVEIRA LIMA, Manoel de. A situação do México, “Coisas Estrangeiras”, O Estado de São Paulo, 27/05/1911, p. 3.

_____ . Novos desenvolvimentos da doutrina Monroe, “Coisas Estrangeiras”, O Estado de São Paulo, 10/11/1913, p. 3.

SKINNER, Quentin. Lenguaje, política e historia. Buenos Aires: Quilmes, 2002.

TERÁN, Oscar. El primer antiimperialismo latinoamericano. Punto de Vista. Revista de Cultura, Buenos Aires, ano IV, n. 12, jul-oct, 1981, p. 3-10.

The North American Review, vol. 199, nº 701, abril de 1914, p. 498-500. Disponível em: http://www.unz.org/Pub/NorthAmericanRev-1914apr-00481?View=PDF Acesso em: 12/12/2013.

TURNER, John Kenneth. Mexico’s Bandit Armies. The National Weekly, abril de 1913. In: MEYER, Eugenia. John Kenneth Turner: periodista de México. México: Era: Facultad de Filosofía y Letras, UNAM, 2005, p. 205-210.

_____ . US Navy Aids Wall Street Pirates. Appeal to Reason, 08/11/1913. In: MEYER, Eugenia. John Kenneth Turner: periodista de México. México: Era: Facultad de Filosofía y Letras, UNAM, 2005, p. 230-40.

VERÍSSIMO, José. O caso do México. O Imparcial, 19/09/1913, p. 2.

_____ . Estados Unidos e México: um grande atentado internacional, O Imparcial, 06/11/1913, p. 2.

_____ . O Sr. Woodrow Wilson e o México ou os inconvenientes da virtude, O Imparcial, 25/04/1914, p. 2.

_____ . Um estado da alma argentina, O Imparcial, 16/05/1914, p. 2.

_____ . O monroísmo wilsoniano e a América Latina, O Imparcial, 06/06/1914, p. 2.

_____ . A educação nacional [1890]. 4ª edição. Rio de Janeiro: Topbooks/ PUC Minas, 2013.

YANKELEVICH, Pablo. En la retaguardia de la Revolución Mexicana: Propaganda y propagandistas mexicanos en América Latina, 1914-1920. Boletín Americanista, Universidade de Barcelona, nº 49, 1999, p. 266. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/listaarticulos?tipoDeBusqueda=ANUALIDAD&revistaDeBusqueda=5730&claveDeBusqueda=1999 Acesso em: 05/06/2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: