Fragmentação e contingência: o processo criativo em El rufián moldavo de Edgardo Cozarinsky

Valdir Olivo Júnior

Resumo


Resumo: A proposta deste artigo é o estudo do processo criativo em El rufián moldavo (2004), primeiro romance do escritor e cineasta argentino Edgardo Cozarinsky (1939). O corpus desta pesquisa constitui-se das páginas iniciais do manuscrito do romance, uma edição do romance (publicada pela Seix Barral) e uma seleção de artigos publicados pelo escritor em revistas portenhas entre as décadas de 1950 e 1960. A hipótese de pesquisa desenvolvida neste trabalho propõe que, para além de uma simples temática, a fragmentação é uma engrenagem central no processo criativo de Edgardo Cozarinsky, pelo que ela possibilita no sentido de criar tensões e deslocamentos. Mesmo se tratando de um romance, o escritor não parte da fábula ou de características dos personagens para desenvolver a história, mas sim dos dispositivos e ambivalências que atravessam a existência desses personagens. Essa concepção do processo criativo em Cozarinsky passa pela problematização do conceito de ficção, que já não diz respeito somente ao que é narrado (fábula), mas à máquina narrativa.

 


Palavras-chave


Edgardo Cozarinsky; El rufián moldavo; Processo Criativo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Manuscrítica. Revista de Crítica Genética. ISSN: 1415-4498
Av. Prof. Luciano Gualberto, 403 Sala 18 CEP: 05508-900 - Cidade Universitária São Paulo - SP / Brasil

Telefone: +551130914077
E-mail: manuscritica@gmail.com