Discurso direto e o texto escolar: um estudo comparativo em histórias inventadas por duas díades recém- alfabetizadas

Kall Anne Sheyla Amorim Braga, Eduardo Calil

Resumo


Introduzir a fala de personagens (discurso direto) em narrativas ficcionais é um fenômeno linguístico-enunciativo complexo e importante para o desenvolvimento da narrativa escrita. Partindo da Genética Textual e da Linguística Enunciativa, este trabalho discute a gênese do discurso direto (DD) em histórias inventadas por escreventes novatos (6-8 anos) em práticas distanciadas no tempo e no espaço. A dupla Isabel e Nara (D1) produziu suas histórias em São Paulo (1992), enquanto Marília e Sofia (D2) em Maceió (2012). Como houve registro fílmico da combinação à escrita da história, a análise se realiza em dois momentos: 1) Descrição dos DD escritos no manuscrito escolar (ME); 2) Gênese dos DD através do retorno às filmagens. Nossos resultados mostram intensas (re) formulações antecedendo à inscrição do DD, além de diferenças quantitativas entre as díades. Nos ME, há 34DD (D1) e 4DD (D2); nos processos de escritura em ato: 200 (D1) e 14 (D2) construções enunciativas relacionadas ao DD do ME. Nossos resultados sugerem que a gênese e as formas de representação do DD estão relacionadas ao universo letrado (histórias em quadrinhos, contos etiológicos) que entorna as alunas.

Palavras-chave: Manuscrito escolar; Discurso reportado; Ensino; Escritura.


Texto completo:

PDF

Referências


Grésillon, A. Elementos de Crítica Genética: ler os manuscritos modernos. Tradução de Cristina de Campos Velho Birck et. al. Revisão de Patrícia Chittoni Ramos Reuillard. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio do Sul, 2007, 336p.

Calil, E.; Amorim, K.; Boré, C. Étude comparative des formes de discours rapportés dasn des contes des origines chez des scripteurs français et brésilliens (7-8 ans): premiers résultats. SHS Web of Conferences. Les Ulis: EDP Sciences. (2015).

Calil, E.; Boré, C. Formas de discurso reportado em narrativas ficcionais escritas por alunos brasileiros e franceses. XVI Congresso Internacional de la ALFAL. S-7 Lingüística Aplicada. Alcalá, 2011, p. 2807-2815.

Boré, C. Le dialogue de fiction scolaire, moteur de l’invention. In: Modalités de la fiction dans l’écriture scolaire. Éditions l’Harmattan. Collection Savoir et Formation. Préface de Frédéric François, 2010, Cap. 4, p. 149-173.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Manuscrítica. Revista de Crítica Genética. ISSN: 1415-4498
Av. Prof. Luciano Gualberto, 403 Sala 18 CEP: 05508-900 - Cidade Universitária São Paulo - SP / Brasil

Telefone: +551130914077
E-mail: manuscritica@gmail.com