Linguagem e Pobreza

Pedro Perini-Santos

Resumo


Linguagem e Pobreza explora as relações bidirecionais entre pobreza e linguagem, demonstrando, através de relatos e análise de casos da América do Norte, Ásia e África, como a pobreza engendra o falecimento de línguas minoritárias, e como o uso exclusivo de línguas ­­­minoritárias sustenta a desigualdade social. Mesmo que um pouco fora da atual agenda da Academia, a argumentação marxista da existência de classes sociais dominantes e classes dominadas vale como argumento forte na compreensão da predominância de determinadas línguas em detrimento de outras. A proposta central do livro pode ser sintetizada na seguinte formulação: políticas institucionais plurilinguísticas podem resultar em efeitos de equidade social. São 12 capítulos; eles se dividem em quatro partes: (1) Pobreza como Fator de Manutenção e Morte das Línguas, (2) Linguagem como Fator Determinante no Acesso aos Recursos, (3) Linguagem e Pobreza: uma perspectiva transdisciplinar e (4) Linguagem, Pobreza e o Papel dos Linguistas. Organizarei esta resenha de acordo com essas sessões, descrevendo de forma sucinta o que cada um dos capítulos apresenta. Ao final, ofereço alguns breves comentários pessoais, destacando a importância teórica deste livro e sua possível aplicabilidade em questões relativas à realidade linguística brasileira. 

 


Palavras-chave


política linguística; idiomas minoritários; economia; pobreza

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PAPIA

Revista Brasileira de Estudos do Contato Linguístico

e-ISSN: 2316-2767

ISSN: 0103-9415 (da versão impressa, descontinuada)

papia@usp.br

PAPIA é indexada no LATINDEX (http://www.latindex.unam.mx) e no DOAJ (http://www.doaj.org).