A origem do papiamentu: evidências para uma convergência de hipóteses

Shirley Freitas

Resumo


Este artigo trata da origem do papiamentu e propõe uma hipótese que considera fundamental a atuação linguística conjunta dos cabo-verdianos e dos judeus sefarditas e seus escravos na gênese e desenvolvimento do papiamentu. Entre as diferentes hipóteses que buscam explicar a gênese do papiamentu, duas apresentam argumentos e fatos linguísticos evidenciáveis, a saber, as relações com o kabuverdianu (especialmente, a variedade de Santiago) e a participação dos judeus sefarditas e seus escravos. A m de decidir a favor de uma das hipóteses, itens lexicais e funcionais das variedades setecentistas e oitocentistas do papiamentu e do kabuverdianu clássicos, bem como do papiamentu sefardita, foram comparados, resultando em convergências nos níveis lexicais e funcionais. De um lado, a grande quantidade de elementos derivados do português no papiamentu clássico seria uma evidência de que esses itens representaram um papel basilar no desenvolvimento da língua, de outro, as convergências lexicais e funcionais não podem ser explicadas por acaso. Já as similaridades com o kabuverdianu clássico conrmariam seu parentesco linguístico. No que diz respeito ao papel da comunidade sefardita e seus escravos, observou-se que a expressão linguística dos judeus também faz parte da estrutura geral do papiamentu clássico, deixando marcas inclusive na variedade moderna. Tendo em vista o material documental dos séculos xviii e xix, escolher uma única hipótese resultaria em um quadro parcial, sendo necessário postular uma convergência de hipóteses, que consiste não somente na reunião de duas hipóteses (a caboverdiana e a sefardita), mas na proposta de um novo cenário para se explicar a gênese e o desenvolvimento do papiamentu. Dentro dessa perspectiva, é importante considerar que, em situações de contato, as línguas continuam se inuenciando mutuamente ao longo dos tempos (Perini-Santos 2015), sendo necessária, portanto, uma análise que privilegie a contribuição dos falantes de diferentes línguas em  diversas sincronias. Assim, seguindo Faraclas et al. (2014), uma convergência de elementos linguísticos africanos e dos sefarditas e seus escravos deve ser considerada nos estudos sobre a formação e desenvolvimento do papiamentu.

Palavras-chave


papiamentu, caboverdiano, Kabuverdianu, Judeus sefarditas e seus escravos; Múltiplos agentes; Convergência de hipóteses.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PAPIA

Revista Brasileira de Estudos do Contato Linguístico

e-ISSN: 2316-2767

ISSN: 0103-9415 (da versão impressa, descontinuada)

papia@usp.br

PAPIA é indexada no LATINDEX (http://www.latindex.unam.mx) e no DOAJ (http://www.doaj.org).